Com apenas 17 mil votos, o suplente David Miranda, gay assumido e casado com o jornalista americano e ganhador do Prêmio Pulitizer Glenn Greenwald, assumirá a vaga na câmara federal que seu colega de partido Jean Wyllys se recusou a assumir por supostas ameaças contra sua vida até o momento  ainda não identificadas.

David Miranda que é vereador eleito em 2016 na cidade do Rio de Janeiro, foi detido em 2013 quando vindo de Berlim até o Brasil fez escala no aeroporto de Heathrow no Reino Unido. A mega operação realizada pela Scotland Yard envolveu mais de 100 agentes da inteligência britânica em diversos países. Miranda foi preso por terrorismo e espionagem.

O jornalista Gleen Greenwald (e), com seu companheiro brasileiro David Miranda: brasileiro foi detido e interrogado durante nove horas pelas autoridades britânicas no aeroporto de Heathrow (Ricardo Moraes/Reuters/)

Autoridades britânicas prenderam Miranda tentando transportar documentos “ultra-secretos” do ex-agente da CIA, o norte americano Edward Snowden, além de também documentos de inteligência que não foi informado o conteúdo devido seu grau de complexidade.

“A inteligência indica que Miranda está envolvido em atividades de espionagem, com potencial para agir contra os interesses da segurança nacional do Reino Unido”, segundo o documento.

“Nós avaliamos que Miranda transportava conscientemente material cuja divulgação colocaria em risco a vida das pessoas”, diz o documento.

“Além disso, a divulgação, ou a ameaça de divulgação, pretende influenciar um governo e é feito com a finalidade de promover uma causa política ou ideológica. Isso, portanto, corresponde à definição de terrorismo.”