Raul Santos Seixas foi um dos mais importantes pioneiros e introdutores do Rock and Roll no país. O Maluco Beleza, como era conhecido, teve uma vasta e criativa produção musical, que somava a crítica social e política com misticismo, entusiasmo e aventura.

Raul era um grande amigo de Paulo Coelho, com quem escreveu diversas obras. Juntos, afundaram no mundo do ocultismo e deram origem a obras como Gita, Novo Aeon, A Lei e Metamorfose Ambulante.

Uma das maiores influências de Raul Seixas, como filosofia de vida, era o ocultista britânico Aleister Crowley, homem que descobriu o Livro da Lei. Trata-se da Thelema, filosofia que preza a liberdade total e a lógica em que o indivíduo assume sua própria felicidade e busca o seu sentido da vida. A lógica thelemita é a da formação da Sociedade Alternativa.

Raul e Paulo Coelho / Crédito: Reprodução

Uma das bases da lógica da Thelema é a autonomia de ser e de mudar. Ou seja, toda ação e opinião é necessariamente moldável. Para Raul, viver o presente e experimentar o desconhecido é muito mais importante do que o conhecimento e a certeza do funcionamento do mundo.

Por isso, a maior parte da obra do Pai do Rock é composta por metáforas e figuras alegóricas, desde a Mosca na Sopa até mesmo Trem das Sete. Além disso, as referências diretas ao texto de Aleister Crowley faziam da obra de Raul uma coletânea de críticas à realidade com o pé bem fundado no chão, em que os desabafos pessoais se integravam na questão social, e vice-versa (talvez a melhor referência disso seja Ouro de Tolo).

Entre suas músicas mais conhecidas, pode-se destacar: Tente Outra Vez, Metamorfose Ambulante, Cowboy Fora-da-Lei, O Dia em Que a Terra Parou, Ouro de Tolo, Trem das Sete, Gita, Medo da Chuva, Meu Amigo Pedro, Sociedade Alternativa, Mosca na Sopa, Rock das Aranhas, A Lei, Anarkilópolis, Let me Sing, Carpinteiro do Universo, A Maçã, Sapato 36 e Como Vovó já Dizia.

Raul Seixas / Crédito: Fã Clube Baú do Raul

Uma importante referência de Raul Seixas ao misticismo e à vida está na música Gita, uma das primeiras do Brasil a ter um videoclipe. A obra é baseada numa épica indiana antiga chamada Bhagavad Gita, que conta a história do encontro do guerreiro Arjuna e Krishna, avatar de Vishnu, antes da guerra.

No texto, Krishna relata sua essência, mostrando a Arjuna que ele é absolutamente toda a realidade e o Ser. Ele é um e tudo ao mesmo tempo, é o corpo da realidade e que, por isso, sabe bem a razão e a importância de tudo, desde o mais reles individua até a guerra e a morte.

Gita é a reprodução da fala do deus, onde diz que é o Início, o Fim e o Meio, que é uma reflexão sobre a necessidade da ação e a real integração com o mundo, a ponto de se abstrair a noção de indivíduo e de identidade, transcendendo o ego e se integrando ao corpo do mundo.

Arjuna e Krishna, do Bhagavad Gita / Crédito: Reprodução

A Lei do Forte. Essa é a nossa Lei e a alegria do mundo. Faz o que tu queres, há de ser tudo da Lei: fazes isso e nenhum Outro dirá não. Pois não existe Deus se não o Homem!

Assista ao videoclipe da música Gita.