Bastidores políticos da cidade onde está localizado um dos maiores polos petroquímicos da América Latina indicam o atual comandante da Polícia Militar no município Rafael Cambuí como homem forte do PSL para concorrer a prefeito na eleição suplementar que acontecerá em Paulínia neste início de 2019.

Como a eleição presidencial do militar da reserva, o capitão Jair Bolsonaro fortaleceu o novo momento político vivido no país, “pessoas com o caráter e honra como o Comandante Rafael Cambuí ganham forças políticas por representarem perante a sociedade uma linha de retidão e trabalho” disse o morador do João Aranha, Thiago Santos.

Ao surgir politicamente, Cambuí deixa para traz nomes tradicionais paulinenses e esta sendo colocado como o mais apto para assumir o executivo neste mandato tampão que findará em 2020.

O Comandante Rafael Cambuí trabalha na cidade de Paulínia desde de 1º de abril de 2014, e durante sua gestão, o número de roubos de veículos foram reduzido em mais de 87% e de roubos no geral em mais de 60%, fazendo assim que a cidade de Paulínia ganhasse do Instituto Sou da Paz o Prêmio Polícia Cidadã, o maior premiação das Polícias do Estado de São Paulo, em 2016.

Para entender:

O prefeito eleito em 2016 Dixon Carvalho (PP) teve seu mandato cassado no TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) por irregularidades na campanha de 2016. O vice, Sandro Caprino (PRB) também foi afastado no mesmo processo, e com a cassação total da chapa, o atual presidente da câmara Ednilson Cazellato, o Du Cazellato (PSDB) assumiu a gestão no dia 7 de novembro, após o cargo de prefeito ser declarado vago pela justiça.  Porém, com a mudança da presidência da câmara no final deste ano, a cidade poderá ter um outro prefeito logo no início de 2019, sendo contabilizado como o 12° (décimo segundo) em apenas 5 anos.